Objetivo é integrar a gestão fiscal com a do fluxo de caixa e facilitar o acesso rápido ao capital de giro para empresas e contabilistas.

A WEEL, fintech que utiliza inteligência artificial para financiar pequenas e médias empresas via antecipação de recebíveis, acaba de formar parceria com outra empresa de inovação – a Arquivei – que oferece serviço em nuvem de gestão fiscal para milhares de empresas e escritórios contábeis.

Com essa parceria, a Arquivei agora disponibiliza em sua plataforma uma nova facilidade digital: um link para a solicitação direta de negociação de recebíveis, serviço oferecido pela WEEL. Para isso, os assinantes dos serviços da Arquivei precisam apenas clicar no botão “crédito” na tela de trabalho da empresa, para acessar uma interface intuitiva e rápida, que permite negociar suas faturas e antecipar receitas.

A plataforma de antecipação de recebíveis da WEEL foi projetada para diminuir os tradicionais obstáculos entre pequenas empresas e seus escritórios contábeis e o crédito rápido, permitindo melhor ajustar o fluxo de pagamentos. Esta necessidade surge, por exemplo, no momento de investir em um aumento sazonal de produção ou frente despesas emergenciais na base industrial, sem ser obrigado a recorrer a empréstimos longos, burocráticos e a juros altos.

A solução online da Arquivei, por sua vez, se propõe como uma alternativa digital, livre de fraudes, e de baixo custo para empresas que precisam gerenciar suas notas fiscais e outros arquivos eletrônicos relativos ao SPED, além de garantir sua rastreabilidade para atender às complicadas exigências da Secretaria da Fazenda – Sefaz.

Antes da consolidação dessa parceria, a Arquivei e a WEEL já compartilhavam um ponto em comum: as duas empresas receberam aporte financeiro da Monashees, um fundo de investimento especializado em projetos empresariais criativos, voltados para novos modelos de negócios.

Fim da maratona do empréstimo

De acordo com Nathan Yoles, Head de Novos Negócios da WEEL, a parceria com a Arquivei proporciona ao mercado uma integração da gestão de fluxo de caixa com a gestão fiscal dos negócios. “Isso, por si só, já é um ótimo benefício para o contador ou administrador da empresa”, afirma.

Além disso, explica Yoles, a negociação online de recebíveis agrega praticidade e acesso rápido a capital de giro de uma forma que até recentemente não existia para as PMEs brasileiras.

“Presenciei, recentemente, como acontece a peregrinação do gestor de uma pequena indústria plástica, por exemplo. Trata-se de um setor que, comumente, recebe faturas em até 90 dias, mas que paga a matéria-prima, por vezes, à vista, e a preços atrelados ao petróleo”. O empresário em questão, explica Yoles, se via obrigado a ir pessoalmente ao banco várias vezes, apenas para assinar contratos de negociação e esperar um mínimo de três dias para obter o crédito.

A WEEL foi a primeira empresa do mercado a introduzir o universo dos grandes dados associado à inteligência artificial para substituir o tradicional método de análise de risco, baseado em cadastros negativos, nas operações com recebíveis.

De acordo com Simcha Neumark, fundador e CEO da WEEL, esta articulação de tecnologias permite reduzir sensivelmente as taxas de juros sobre as operações com recebíveis e modificar uma atividade que estava, há quase três séculos, tecnicamente estagnada.

Para Christian de Cico, fundador e CEO da Arquivei, essa parceria com a WEEL traz mais uma facilidade para seus usuários. “A plataforma Arquivei é conhecida por ajudar na gestão de documentos sensíveis de diversas empresas. Com essa nova função, escritórios contábeis conseguem entregar mais valor para seus clientes, auxiliando diretamente com opções para equilibrar o fluxo de caixa. Para empresas, o financeiro consegue ter um maior controle sobre fluxo e uma nova opção de fomento muito facilitada”, explica.

Sobre a WEEL

A WEEL foi fundada em 2015 por empreendedores com vasta experiência no mercado financeiro e de Big Data, e amplo domínio dos novos movimentos de transformação digital dos negócios.

Seu objetivo é oferecer capital líquido de forma simplificada para dar suporte ao fluxo de caixa de pequenas e médias empresas brasileiras através da antecipação de recebíveis. Para tanto, a WEEL substituiu os velhos métodos de análise de risco, limitados a poucos indicadores, por algoritmos baseados em inteligência artificial que avaliam mais de 1.500 fontes de informação sobre variáveis de crédito, em frações de segundo, a partir de informações de ERPs, redes sociais, empresas, instituições e publicações do mercado.

Os sócios que lideram a WEEL são os brasileiros radicados em Israel Simcha Neumark e Shmuel Kalmus e o norte-americano radicado em Israel Russell Weiss. A WEEL participou do programa global de aceleração do Citibank, o Citi Accelerator, em 2015. Em 2017, obteve um aporte de US$ 8,5 milhões.