Seu pedido de antecipação foi negado? Saiba por quê

Pedir a antecipação de recebíveis para uma fintech, factoring tradicional ou instituição financeira não significa operação garantida. Antes de realizá-la, as instituições analisam o perfil de risco dos clientes. Ou seja: calculam, com base em uma combinação de dados, qual o risco de levar um calote daquela empresa que está pedindo o dinheiro.

E nem sempre a solicitante é aprovada nessa análise.

Para decidir se antecipa ou não títulos de uma empresa, as fintechs – entre elas aquelas que oferecem antecipação de recebíveis de forma totalmente digital – analisam uma série de informações sobre a companhia e seus sócios. Com o aperfeiçoamento da tecnologia, algumas desenvolveram sistemas próprios de análise, que vão além da avaliação da saúde financeira da empresa e situação no Serasa ou Boa Vista.

Esses sistemas de checagem, cada vez mais inteligentes, já levam em conta por exemplo como a empresa se relaciona com seus clientes e fornecedores, se cumpre o que promete, se tem uma imagem séria e confiável, e também se têm problemas trabalhistas e tributários. O perfil dos sócios é igualmente checado, já que são eles os responsáveis pelo negócio. Se nesta análise algo chamar a atenção, a empresa pode ter recusado o seu pedido de antecipação.

Entenda quais as situações em que a antecipação de recebíveis é negada e por quê:

 

Restrições em birôs de crédito

Em caso de a empresa ou algum dos sócios ter o nome negativado ou com restrições em birôs de crédito, a exemplo de Serasa e Boa Vista, seja por emissão de cheque sem fundo ou inadimplência grave, a antecipação pode ser negada.

 

Problema financeiro persistente

Quando a análise financeira da empresa mostra que o problema é recorrente e que a empresa apresenta dificuldade para pagar fornecedores e parceiros há algum tempo, torna-se mais alta a chance de o perfil ser negado. Se a fintech perceber que a antecipação não é simplesmente para cobrir um problema de fluxo de caixa – mas algo mais grave do que isso –, a antecipação será recusada.

 

Pendências financeiras

Outro sinal de alerta para a fintech é se o endividamento da empresa é muito alto e crescente, ou se o negócio estiver com dificuldade de pagar parcelas.

 

Qualidade dos títulos

O pedido de antecipação de recebíveis está diretamente atrelado à garantia de pagamento futuro de títulos de dívida, promissórias e outros. Além da saúde financeira da empresa que quer antecipar os títulos, é avaliada também a qualidade dos contratos, ou seja, das duplicatas que serão antecipadas. Se estiverem atreladas a contratos com empresas fortes e saudáveis, é menos arriscado que deixem de pagá-los e, portanto, a antecipação é mais confiável. Se forem contratos menos sólidos ou de clientes com histórico de atraso ou calote, o risco de esses títulos serem negados é alto.

 

Problemas entre sócios

Os sócios são a alma da empresa e desentendimentos entre eles podem gerar também problemas para o negócio. Por isso, parte da análise das fintechs baseia-se em avaliar quem são os sócios, os cônjuges e a movimentação societária da empresa.

 

Senioridade do negócio

No crédito, idade é documento. O tempo de atuação da empresa é um diferencial porque indica que seus gestores e sócios têm feito um bom trabalho em prol da perenidade do negócio. Novatas ainda não têm um histórico de gestão bem-sucedida e precisam “provar-se” no mercado – por isso, são vistas pelas empresas de crédito ou antecipação como mais arriscadas. Mesmo se a empresa for antiga, mas tiver mudanças recentes no quadro de sócios, ela pode ser encarada como uma novata. Afinal, nada garante que os novos donos mantenham o mesmo estilo de gestão. Muitas mudanças no quadro de acionistas em um curto período também podem ser um fator de risco, e portanto motivador da recusa da antecipação.

 

No entanto, é importante frisar: ter o pedido negado uma vez não significa que a empresa não poderá nunca mais tentar antecipar outros títulos. Algumas delas, como a WEEL, reavalia a situação da empresa após 90 dias do pedido negado.