O crescimento de qualquer negócio depende da eficiência do controle das atividades do caixa, portanto é fundamental que os empresários estejam atentos à sua gestão financeira. Logo, saber o que é capital de giro e qual é o objetivo desse recurso de administração financeira é indispensável para a sobrevivência de empresas pequenas, médias ou grandes.

Negligenciar sua gestão financeira ou aplicar as estratégias erradas para obter capital de giro pode acarretar problemas sério às empresas. Desde a descredibilização no mercado, até um cenário mais grave de falência por não conseguir quitar suas dívidas. 

Se os diretores-executivos não têm essa expertise, é essencial que recorram a profissionais qualificados e treinem suas equipes financeiras da melhor forma possível. Optar por parceiros financeiros também pode ser uma saída inteligente para obter mais capital de giro e manter os negócios em atividade.

A WEEL preparou este conteúdo completo sobre o tema para te ajudar a entender tudo a respeito do processo necessário para obter mais capital de giro. Confira os tópico a seguir e evite erros irreparáveis para o seu negócio!

O que é capital de giro?

O capital de giro, também conhecido como capital circulante líquido, é o montante financeiro necessário para que uma empresa arque com as despesas fixas ou variáveis do seu caixa e consiga manter em atividade, de forma saudável, suas operações cotidianas. 

Portanto, corresponde à diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante de uma empresa. Entre as obrigações incluídas podem estar, por exemplo: pagamentos a fornecedores; compra de matéria-prima ou mercadorias que serão revendidas; ter a reposição necessária do estoque de produtos; oferecer a estrutura necessária para os seus serviços; investimentos em ações; parcelas dos financiamentos adquiridos; além de, claro, ter mais liberdade para oferecer boas opções de pagamentos a prazo aos seus clientes.  

Sendo assim, também é importante saber que o capital de giro não está associado aos investimentos fixos da empresa, que são todos os materiais e bens adquiridos para que ela pudesse iniciar suas atividades – salas comerciais, mobiliário corporativo, máquinas, veículos, entre outros. 

É bastante comum utilizá-lo como uma espécie de “ recurso/reserva emergencial” quando uma venda a prazo é realizada a algum cliente e a empresa se vê obrigada a aguardar meses para receber o valor completo da sua negociação. Esse descasamento de caixa pode inviabilizar que as contas sejam pagas em dia durante esse prazo para recebimento e o capital de giro é uma forma de, por meio de uma gestão eficiente de fluxo de caixa, manter-se sustentável.  

Há períodos sazonais de baixa e de alta de acordo com cada segmento de mercado, certo? Ter capital de giro importante para que a empresa permaneça estável em períodos em que não atingirem suas metas em relação às necessidades do seu caixa, como cenários de crise econômica ou períodos específicos de baixa para os setores do mercado. Serviços financeiros como a antecipação de recebíveis também podem ser úteis – vamos falar um pouco mais sobre isso nos tópicos à frente.  

Por que o capital de giro é importante?

Como falamos anteriormente, o capital de giro serve para que a empresa tenha consciência das suas obrigações e possa se precaver a tempo de quitar suas contas e obrigações. Manter um capital de giro baixo significa manter-se em risco financeiro e despreparada para agir em momentos mais críticos. 

Imagine o seguinte cenário: caso a sua empresa precisasse interromper todas as atividades, ela conseguiria sobreviver por, no mínimo, um período de 180 dias (6 meses)? Quanto maior for o valor do seu capital de giro positivo, mais tempo a sua empresa conseguirá manter seu funcionamento sem impactos destrutivos, apesar de não estar recebendo nada dentro deste período.

Essa lógica é ainda mais importante para empresas que estão se lançando no mercado ou até falando um investimento de alto nível para lançar um novo produto. Momentos desse tipo são instáveis e imprevisíveis já que, por mais que haja um estudo de mercado e uma previsão de receita, nunca se sabe essas ações empreendedoras irão dar mesmo certo, ser sustentáveis ou cativar o público a longo prazo. 

Ou seja, gerar capital de giro deve ser o objetivo dos gestores e profissionais do setor financeiro de qualquer empresa porque, além de ser um sinal de saúde de caixa, indica que o negócio está preparado para enfrentar qualquer possível adversidade que esteja por vir.  

Como gerir o capital de giro da sua empresa?

Existe uma palavra que deve guiar a sua estratégia para gerar mais capital de giro para o seu negócio: planejamento. Detalhar todas as movimentações e ter uma projeção clara de quais são as expectativas ou qual é o fluxo de fechamento de novas negociações dará uma expertise financeira importante e será o passo inicial para atingir o seu objetivo.

Em resumo, para conseguir gerar mais capital de giro e obter uma gestão mais saudável, você e a sua equipe devem ter o seguinte raciocínio:

Valor das contas a receber do seu negócio + Valor correspondente ao seu estoque – Valor das contas a pagar do seu negócio = NCG (Necessidade de capital de giro)

Se a NCG do resultado for positiva, sua empresa tem um valor de capital de giro positivo e a situação não é tão alarmante. Entretanto, se o valor da NCG for negativa, isso quer dizer que a empresa precisará recorrer a alguma estratégia para gerar capital de giro com urgência.

A planilha de capital de giro também pode te ajudar neste objetivo e para fazer download de um modelo desta ferramenta, produzida pela WEEL, basta clicar no banner a seguir.

Métodos para conseguir capital de giro

Quando as contas de receitas e despesas não estão alinhadas de uma forma viável, o negócio pode experimentar vários problemas resultantes desse desequilíbrio de caixa, entre eles o déficit na conta corrente e a falta de capital para investimentos. Nesses casos, é necessário adotar algumas práticas ou buscar capital externo para equilibrar as contas.

Dicas para controlar o capital de giro

  1. Antecipe os seus recebíveis

A antecipação de recebíveis é um serviço financeiro que, basicamente, funciona como um adiantamento das contas a receber da sua empresa. Ao adotá-la você recebe, hoje, os valores de notas fiscais de produtos ou serviços que só seriam pagas pelos seus clientes alguns meses à frente. 

A recomendação é que você opte por instituições financeiras mais tecnológicas e com métodos pouco tradicionais pois desburocratizam o acesso da sua empresa a crédito. A WEEL é uma fintech de crédito para empresas que, por meio de uma plataforma 100% digital, permite que sua pequenas, médias ou grandes empresas recorram a soluções inteligentes de crédito de forma rápida e prática. Conheça a antecipação de recebíveis da WEEL!

Leia também: O que é e como fazer uma Antecipação de Recebíveis?

  1. Financiamentos a fornecedores

Algumas instituições financeiras também oferecem alternativas para financiar as cadeias de fornecedores das empresas e gerir, da forma mais vantajosa e personalizada, seus prazos de pagamentos. Por meio delas você poderá pagar à vista os seus fornecedores, negociar descontos e, assim, expandir o seu prazo de pagamento deste valor à instituição financeira. Saiba como funciona o programa de financiamento de fornecedores da WEEL!

  1. Corte os gastos desnecessários

Avalie as contas a pagar do seu negócio e, se possível, corte os gastos que são elimináveis e transfira o valor dessas contas para o seu capital de giro. Assim que o seu capital de giro estiver positivo e equilibrado você poderá restabelecer estes custos, se ainda fizerem sentido para a sua empresa.

  1. Recorra a empréstimos bancários

O empréstimo bancário é, talvez, o mais popular entre as empresas que estão com problemas de caixa e capital de giro. Mas cuidado! Esses empréstimos são contas a pagar, portanto faça um planejamento para viabilizar e pagar esse valor à instituição financeira de forma segura e planejada. Reavalie se as soluções apresentadas anteriormente não resolvem o seu problema.

  1. Evite desperdícios de estoque

Avalie a gestão do seu estoque e evite desperdícios de matérias-primas ou superinvestimentos na produção de linhas específicas que poderão dar um retorno abaixo do esperado. Esse valor aplicado ao estoque pode ser poupado e servir para impulsionar a sua estratégia de capital de giro em apenas um controle mais assertivo do estoque.

  1. Defina os objetivos de gestão

Entenda a necessidade de gerar capital de gira, trace um plano e não passe por cima dele para eliminar outros problemas. Esse valor gerado ou crédito adquirido não deve ser direcionado para outras finalidades, evite decisões financeiras imediatistas para o seu negócio!

Saiba mais: 11 métodos eficazes para evitar problemas de fluxo de caixa na sua empresa.

Como calcular o seu capital de giro?

A gestão do capital de giro de uma empresa pode ser complexa, mas o cálculo para identificar o valor desse recurso de acordo com o contexto do seu negócio é bastante simples. Você só precisa saber qual é o valor do seu AC (ativo circulante) e subtraí-lo do seu PC (passivo circulante) e, assim, encontrar o seu CGL (capital de giro líquido). 

Mas vamos à fórmula para calcular o seu capital de giro! É a seguinte:

CGL = AC – PC

Caso você ainda não tenha entendido esses os termos citados acima: 

  • Ativo circulante: é todo o lucro disponível do caixa ou a receber ou seja, podemos defini-lo como todo os valores livres que a empresa tem à disposição para investir ou aplicar da forma que for necessário.   
  • Passivo circulante: são as obrigações que devem ser pagas dentro do período de um ano empresarial ou seja, são todas as despesas fixas já projetadas como dívidas com fornecedores, empréstimos financeiros, imposto de renda, folhas de pagamento, etc. 
  • Capital de giro líquido: é o valor da “reserva de segurança” que a empresa tem para utilizar da forma que desejar e que eventualmente precisar e irá deixá-la em segurança. 

Será por meio desta fórmula e análise que a sua empresa entenderá se é há a necessidade de recorrer a serviços financeiros ou se será viável utilizar o seu próprio capital de giro líquido. Por exemplo, caso suas concorrentes não tenham este cuidado e planejamento financeiro, sua empresa já estará à frente delas e terá menos chances de quebrar em meio a uma crise de mercado. 

Este conteúdo produzido pela WEEL para tirar todas as suas dúvida sobre capital de giro foi útil para você? Agora, com todas essas informações, fica mais fácil planejar e acompanhar o desenvolvimento da sua empresa e garantir a segurança em relação às questões financeiras!Se houver qualquer dúvida, fique à vontade para conversar com nossos especialistas financeiros utilizando o chat à esquerda desta página, ligando para +55 11 3198-5196 ou enviando um e-mail para suporte@weel.com.