Ter problemas de fluxo de caixa é o maior pesadelo dos empresários e dos administradores financeiros das instituições. Afinal, esses problemas podem causar danos irreparáveis à saúde financeira das organizações. Sem um capital de giro satisfatório torna-se inviável que as empresas eliminem suas obrigações financeiras mais urgentes (dívidas de curto prazo) e faz elas perderem a estabilidade para quitar as contas que estão por vir (dívidas de longo prazo). Além de impossibilitá-las de investir na otimização do seu negócio para explorar novas oportunidades do seu mercado.

“O Fluxo de caixa é uma ferramenta que permite ao administrador financeiro planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros da empresa por determinado período”, explica José Eduardo Zdanowicz, em um trecho publicado na obra ‘Fluxo de caixa: uma decisão de planejamento e controle financeiro’.

Para se aprofundar em relação ao termo fluxo de caixa, leia também o conteúdo: O que é Fluxo de Caixa?

Esses problemas, ocasionados pela falta de capital de giro, podem impactar todas as pequenas, médias e grandes empresas (PME’s) do mercado. Especialmente se essas organizações não realizam um planejamento financeiro consistente ou não têm autoconhecimento em relação à frequência das operações que realizam e do valor do retorno obtido por meio dessas prestações de serviços ou vendas. Seja qual for o nicho de atuação da empresa em questão. 

Mas, agora, vamos às dicas exclusivas! Se você chegou até este artigo em busca de saídas e soluções para os problemas de fluxo de caixa da sua empresa, confira os tópicos a seguir.

A WEEL fintech 100% digital de antecipação de recebíveis — preparou 11 dicas que o ajudarão a gerenciar o seu fluxo de caixa de uma forma que ele permaneça sempre positivo, possibilitando uma operação mais saudável e um crescimento exponencial.

1. Adote um processos e planeje-se com antecedência 

planejar com antecipação evita problemas de fluxo da empresa

Pode parecer uma dica simples; no entanto, manter os gastos organizados, mesmo que a curto prazo, faz toda a diferença, principalmente porque o mantém sempre a par dos números de sua empresa.Controle é fundamental e, por vezes, o planejamento do fluxo de caixa falha ao não prever a correta projeção de gastos.

Comece dedicando-se ao planejamento do próximo período — 7 dias, 15 dias ou 1 mês, por exemplo —, mas prepare-se para estender cada vez mais o espectro de seu controle. O indicado é que você tenha uma visibilidade financeira de, pelo menos, 6 meses à frente.

Todos os dados e valores podem ser registrados por meio de uma planilha de projeção de fluxo de caixa, por exemplo.

Se quiser dicas para garantir a saúde da sua empresa, leia também: “14 dicas de saúde para seu fluxo de caixa”.

2. Tente utilizar a tecnologia a favor da sua empresa

Você emprega a tecnologia na gestão financeira de seu negócio? Nesse caso, garanta que seus funcionários estejam utilizando a última versão dos softwares ou aplicativos de organização e gestão financeira da sua empresa, de forma que usufruam de todo o seu potencial destas ferramentas digitais.

Invista em plataformas colaborativas, tecnologias em nuvem e dispositivos móveis — Sistemas ERP’s; Sistemas de Contabilidade; CRM’s; Sistemas de Antecipação de Recebíveis e outros. Dessa forma, o trabalho poderá ser feito de qualquer lugar e de maneira otimizada. Para entender melhor, confira o conteúdo sobre as principais ferramentas tecnológicas voltadas à gestão de negócios. 

3. Faça um trabalho de prospecção para novos clientes

De tempos em tempos, é necessário reavaliar sua base de clientes. Caso sua empresa disponha de capacidade para lidar com mais volume, uma das formas de manter-se longe de problemas de fluxo de caixa é, obviamente, gerando mais lucro.

Para incentivar seus clientes a indicar seus serviços, você pode oferecer descontos, promoções ou até prover consultoria, caso isso faça sentido no seu negócio. Lembre-se: uma das  melhores maneiras de conquistar clientes é por meio de atendimento e relacionamento de qualidade.

4. Opte pela antecipação de recebíveis

Realizar vendas a prazo pode ser um diferencial importante para o seu negócio, porém isso pode forçar o seu caixa a aguardar 30, 60 ou até 90 dias até que os seus clientes paguem os boletos relativos às vendas feitas pela sua empresa. Manter o fluxo de caixa saudável é, nesses casos, um grande desafio — mas que pode ser solucionado com a antecipação de recebíveis. Com essa modalidade de crédito, você pode contar com o recebimento imediatamente, pagando taxas muito inferiores a outras modalidades de crédito por isso.

Ou seja, não há necessidade de esperar todos os meses correspondentes às parcelas estabelecidas para os boletos que serão pagos pelo cliente (sacado) da sua empresa (cedente). Você pode recebê-lo no mesmo dia que decidir realizar uma antecipação.

A antecipação, hoje em dia, pode ser feita de forma totalmente online (todos os documentos são enviados por computador), ágil e segura.

Esse processo é ainda mais facilitado se você recorrer às fintechs de antecipação de recebíveis digitais, como é o caso da nossa operação. 

Este é o caso da WEEL, por exemplo. Uma fintech que vem inovando e oferecendo a melhor experiência possível aos seus clientes, que antecipa os valores das notas fiscais da sua empresa e entrega o dinheiro relativo às antecipações no mesmo dia.

Clique na imagem abaixo e entenda melhor o processo da operação da WEEL:

5. Reavalie seus preços e acompanhe o aumento da sua receita bruta

À medida que as empresas vão crescendo — este é um processo natural para as pequenas, médias e grandes organizações —, é natural que também haja um aumento do preço cobrado pelos serviços e produtos oferecidos por elas. Independente de qual seja o seu nicho de mercado.

“Para um empreendedor, é fundamental conhecer a relação entre os custos (C) e volume (V) de vendas e receitas, os quais determinam o lucro (L). A análise da relação CVL é uma ferramenta gerencial eficiente, por fornecer informações relevantes para subsidiar as tomadas de decisão da empresa.”. Fonte: autores do ‘Gestão Financeira: enfoque em Inovação.’.

Para isso, é necessário que a sua empresa analise os métodos mais compreensíveis e viáveis para aumentar os preços das propostas que são apresentados aos clientes.

O objetivo deste aumento será gerar uma receita bruta mensal maior ao seu setor financeiro.

Afinal, um aumento extremo e imprevisível, sem uma finalidade específica ou justificativa viável, pode causar uma quebra de expectativas ou até chocar os seus clientes. Passar uma má impressão da sua empresa.

6. Avalie a necessidade de diminuir o custo da sua folha de pagamento

Como você e a equipe da sua empresa provavelmente já devem saber, a folha de pagamento é a forma que se denomina a lista de controle dos pagamentos dos funcionários da empresa em questão. No Brasil esse tipo de documentação é obrigatório para qualquer empresa e exigida legalmente. 

Por vezes, fazer a sua equipe de trabalho crescer pode significar avanços e proporcionar incontáveis melhorias nas áreas e setores da empresa em desenvolvimento. Mas isto só deve ser feito se a sua empresa tiver condições de arcar, confortavelmente, com os custos dos salários de todos os integrantes como acordado contratualmente. 

Devido à falta de capital de giro, sua empresa pode acabar não tendo um crédito ativo suficiente para fazer isso. Algumas alternativas podem ser viáveis, desde que sejam possíveis:

  • Seguir à risca a carga horária fixa de trabalho estabelecido para evitar o pagamento de horas extras;
  • Optar pela contratação de colaboradores freelancers, ao invés de pagar salários fixos, pode representar uma economia considerável;
  • Demitir funcionários que não estão contribuindo e remanejar suas atividades para os demais integrantes do time em casos extremos e, claro, se isso for possível.

Esse é, talvez, o método mais delicado em relação às possíveis tomadas de decisão com o objetivo de diminuir os problemas de fluxo de caixa de uma empresa. Entretanto, certamente você já deve ter escutado algum relato de demissão que teve “corte de custos” como argumento ou viu alguma das alternativas citadas serem aplicadas, não é mesmo?

7. Fique atento aos insumos excessivos e ao seu controle de estoque

Lembre-se: deixar os produtos que foram produzidos e acabaram não sendo efetivamente vendidos em estoque é equivalente a deixar o seu dinheiro parado e investi-lo a toa. Esse é um dos fatores que causam os problemas de fluxo de caixa.

Logo, nossa recomendação é que seja evitado, ao máximo, o fechamento de vendas que possam, porventura, serem canceladas ou sofrerem algum tipo de redução inesperada de produtos ou serviços por parte dos clientes. 

Contratar insumos em excesso também pode representar um perigo à economia da sua empresa, dependendo do contexto e nicho de atuação específicos da sua empresa. Compre apenas o que for necessário para a produção e desenvolvimento de cada operação.

Assim a sua empresa não sairá no prejuízo com as produções e vendas e, aliado a diversas outras ações preventivas, conseguirá ter uma boa gestão financeira.

8. Certifique-se de estar em vantagem em relação aos seus fornecedores

Às vezes pode ser difícil encontrar fornecedores com boas propostas de suprimento, especialmente se a sua empresa está com problemas de fluxo de caixa e precisa trabalhar com limites específicos de valores. 

Levando esse cenário em consideração, tente conseguir concessões nos preços que, a princípio, foram oferecidos por eles. Mostrar que a parceria com a sua empresa será um passo seguro e benéfico, já a partir do momento inicial da negociação, pode fazer toda a diferença na persuasão e na aceitação da proposta de parceria com a sua empresa.

9. Pense em optar por uma fusão de sociedades empresariais

empresarios-fazendo-uma-fusao-de-sociedades-empresariais

Se sua empresa não tiver muitas opções para resolver os problemas de fluxo de caixa, fazer uma fusão de sociedades empresariais pode ser uma possibilidade. É uma forma de união de “forças”. 

Caso você não saiba, a fusão é uma forma de reorganização societária em que duas (ou mais) empresas podem se unir com o objetivo de juntar os patrimônios dos seus societários, sócios e acionistas para iniciar uma nova identidade societária, extinguindo suas próprias empresas.

Apesar de alguma das empresas estar passando por problemas de fluxo de caixa, essa fusão pode ser benéfica para ambas. Ou seja, o modelo de negócio de uma pode acrescentar à outra em vários setores: propostas de negócios; expertises de atuação; renome no mercado; etc.

Essa fusão deve ser feita de acordo com o Art. 228 da Lei das Sociedades Anônimas de 1976 (Lei 6.404/76). Consulte todos os detalhes da Lei das Sociedades Anônimas agora mesmo.

10. Pense na possibilidade de conseguir capital por meio do Mercado de Ações

Além de todas as opções anteriores, também há a possibilidade da sua empresa recorrer aos benefícios do investimento em ações!

A partir das circunstâncias e do porte da sua empresa, entrar na bolsa de valores pode ser um passo interessante e bastante vantajoso. 

Para conseguir capital por meio deste mercado financeiro, é necessário que a sua empresa venda algumas ações — títulos nominativos negociáveis — que pertencem à empresa. Ao vendê-las, você estará contando com o investimento dos acionistas que estão adquirindo-as, somando um montante financeiro que pode vir a ser a solução dos problemas de fluxo de caixa do seu negócio e não precisará ser reembolsado.

No processo de negociação, você pode criar um tipo de ranking de relevância das ações, classificando-as por classes: A, B, C ou outra letra qualquer que apareça após a sigla “ON” que classifica as ações ordinárias — ações que garantem aos acionistas a liberdade de voto e tomadas de decisões na empresa — ou após a sigla “PN” que são as ações preferenciais — ações que serão recebidas pelos acionistas preferenciais com prioridade.

Entretanto, a partir do momento da conclusão da compra, as frações relativas às ações serão de domínio dos acionistas que, agora, farão parte do corpo societário da empresa. Sua empresa precisará apresentar o retorno investido que esse acionistas fizeram por meio do fechamento de novos negócios e da entrada de capital ativo no negócio.

11. Assegure-se de que os clientes prospectados são honestos e irão pagar em dia

Realizar a prospecção de novos clientes é fundamental para aumentar seu número de parceiros e de fechamento de negócios para a sua empresa. Entretanto, nem todos os clientes serão vantajosos em médio ou longo prazo!

Para evitar calotes e prejuízos financeiros é fundamental que uma série de documentações e informações jurídicas sejam exigidas e consultadas.

Também é recomendado que seja checado o histórico desse potencial cliente nas instituições de análise e informações para decisões de crédito e apoio às empresas — como o Serasa Experian, por exemplo.

Caso, mesmo assim, tenha entrado uma quantidade significativa de clientes inadimplentes na sua carteira de fornecedores, crie uma rotina para cobrá-los. Utilize o canal ideal de acordo com o comportamento do cliente: via telefone; via e-mail; via SMS; via WhatsApp; em reuniões presenciais; etc.

A falta de pagamento de produtos produzidos ou serviços prestados por parte dos clientes é uma das razões que, inesperadamente, podem causar problemas no seu fluxo de caixa.

Por que ter um fluxo de caixa positivo e saudável faz toda a diferença?

Em um mercado superlotado e altamente competitivo, é importante prezar pela organização financeira da sua empresa para que ela consiga alcançar novos horizontes e supere seus concorrentes. Seja capaz de ter uma operação lucrativa e que investe em si mesma para, assim, crescer e se sobressair no mercado. 

Ao solucionar os problemas de fluxo de caixa, sua empresa terá:

  1. Expertise e inteligência para a sua organização financeira empresarial em prol da saúde do seu negócio;
  2. Estrutura para planejar as próximas estratégias de investimento para que, cada vez mais, seu negócio cresça;
  3. Definição de prioridades e redução das despesas que, no fim das contas, não eram tão necessárias;
  4. Verba para investir no desenvolvimento da equipe interna da sua empresa e nas melhorias necessárias na estrutura.

Este conteúdo foi útil para você? A WEEL espera que o conteúdo tenha sido suficientemente esclarecedor e tenha ampliado as suas possibilidades de resolução para os problemas de fluxo de caixa da sua empresa. Em caso de dúvidas, nossos especialistas estão à disposição para atender e auxiliar você.