Gestor de PME: sabe como utilizar um ERP?

O universo digital já chegou às pequenas e microempresas, e não apenas na hora de criar um site para promover produtos ou de atrair clientes pelas redes sociais. Agora, elas são atendidas por sistemas informatizados que os apóiam na gestão interna do negócio. Esses softwares são chamados de ERP (sigla de Enterprise Resource Planning ou Planejamento de Recursos Empresariais, em português).

Os ERPs, criados décadas atrás e então voltados apenas para grandes corporações, integram aquelas operações que empresários e diretores financeiros até então eram obrigados a realizar manualmente, entre eles o controle de orçamentos, fluxo de caixa, previsão de gastos, controle de estoque, logística, calendário de pagamentos de fornecedores, funcionários e tributos, e contabilidade, entre outras atividades gerenciais.

Alguns softwares, mais modernos e completos, já oferecem outras funcionalidades, como a gestão de performance de funcionários e até a antecipação de recebíveis online. Esta última, uma operação financeira de empréstimo barata e segura, é feita em parceria com Fintechs como a WEEL. A integração entre as duas plataformas – da Fintech e do ERP – é quem garante total facilidade ao usuário, que não precisa sair de sua plataforma de ERP para realizar a operação de antecipação.

 

Acesso aos dados da empresa a qualquer  hora e de qualquer local

Há diversas opções de ERP voltadas exclusivamente às PMEs brasileiras, desenvolvidos por empresas nacionais em português e com assistência técnica local. Eles permitem acesso de qualquer local e a qualquer hora pelo computador ou pelo celular dos profissionais que têm a autorização da empresa para utilizá-los. Seus benefícios já são conhecidos: dinamismo e rapidez na tomada de decisão, consulta livre a todas as informações da empresa etc. No caso da gestão financeira, é possível verificar em tempo real quando a empresa está prestes a sofrer com a falta de capital de giro – e, nesse caso, realizar imediatamente a antecipação de recebíveis online. Os sistemas OMIE, Arquivei e ERPFlex são alguns exemplos de softwares que disponibilizam esse serviço de dentro de sua plataforma.

As PMEs brasileiras geralmente utilizam os ERPs para gerenciar duas áreas: a de Vendas e a Financeira. Cada vez está mais difundido o conceito de Sistema de Gestão Integrado (ou SGI), que nada mais são do que os ERPs agregados a soluções que cobrem diversas outras áreas corporativas, como por exemplo a de Qualidade de Gestão Ambiental, Segurança e Saúde Ocupacional e Responsabilidade Social.

Os benefícios resultantes da utilização do ERP para o negócio são diversos, desde a melhoria no controle de processos, a diminuição de retrabalhos, a transparência e o grau de confiança nas informações, até a otimização processos e a redução de custos, erros e perdas.

Para o pequeno e médio empresário, temos uma recomendação: vale a pena conferi-los e utilizá-los para o crescimento de seu negócio.

Se você gostou desse post, assine nossa newsletter para receber novas informações sobre gestão financeiro e soluções inteligentes para pequenas e médias empresas.