Aprenda como calcular o capital de giro da sua empresa

Ferramenta gratuita: Planilha de controlar do capital de giro para empresas

Ao abrir um negócio, o seu maior desejo é que ele prospere cada vez mais, certo? Para isso, é fundamental realizar um bom controle financeiro. Por meio dessa prática, é possível conhecer a situação em que a empresa se encontra e, assim, ter maior poder de decisão sobre novos investimentos e projetos, reduzindo riscos e maximizando as chances de sucesso.

Porém, devido à grande quantidade de termos técnicos, muitos empreendedores enfrentam dúvidas durante esse processo. Uma das mais comuns é: como calcular o capital de giro?

Neste post, vamos explicar a importância desse conceito, qual é o cálculo necessário para chegar até ele e como administrá-lo. Acompanhe.

A importância de administrar o capital de giro

O capital de giro é definido como o valor necessário para a empresa custear e manter suas operações diárias. Ou seja, é uma reserva de recursos de rápida renovação, cujo objetivo é suprir as necessidades financeiras da organização ao longo do tempo, viabilizando seu funcionamento.

Esse conceito deve ser levado em consideração desde a fundação da empresa, pois representa uma parcela dos investimentos iniciais (sendo a outra parte destinada aos itens do ativo imobilizado, como o imóvel, máquinas, móveis, etc.).

Saber como calcular o capital de giro ajuda na tomada de decisões em relação a compras, vendas e à administração do caixa, tendo como base uma análise lógica do momento, das faltas e sobras de recursos financeiros e dos reflexos gerados pelas decisões.

Sendo assim, a ausência de uma administração eficiente desse valor pode levar a empresa a fechar as portas, uma vez que ele cobre todas as despesas, inclusive as mais básicas, como contas de luz e o pagamento de salários.

Sem capital de giro, é provável que o empreendedor seja obrigado a recorrer aos bancos para cobrir as dívidas e possibilitar a continuidade das atividades da companhia.

Entretanto, as condições oferecidas e as taxas cobradas por essas instituições financeiras costumam ser pouco favoráveis.

Aprenda a calcular o capital de giro

Antes de calcular o capital de giro líquido, é preciso entender dois conceitos: ativo circulante e passivo circulante.

Ativo Circulante

Corresponde a todo o dinheiro que a empresa tem disponível em caixa, além dos bens e recursos que poderão ser convertidos em dinheiro no curto prazo.

Alguns elementos que fazem parte desse grupo são: estoques, matéria-prima, mercadorias prontas para venda, contas a receber dos clientes (com prazo de vencimento dentro do exercício vigente), depósitos bancários, resgate de aplicações financeiras etc.

Passivo Circulante

Diz respeito às obrigações financeiras que deverão ser pagas dentro do exercício vigente, também conhecidas como exigíveis a curto prazo. O ideal é que as contas do passivo circulante sejam liquidadas com o uso do ativo circulante.

São incluídos nesse grupo: impostos, aluguel, pagamentos aos fornecedores, obrigações trabalhistas, empréstimos, financiamentos, entre outros.

Fórmula do capital de giro líquido

Para chegar ao valor do capital de giro líquido (CGL), é necessário subtrair o passivo circulante (PC) do ativo circulante (AC). Temos, então, a fórmula: CGL = AC – PC.

Não há uma regra que defina qual é o resultado ideal para esse cálculo, pois ele varia de acordo com as características de cada negócio.

Por exemplo, a necessidade será menor nos casos em que o ciclo financeiro da empresa é mais veloz, ou seja, em que o prazo entre pagamentos e recebimentos seja curto.

Já em momentos em que a empresa esteja crescendo rapidamente (e são necessárias medidas como aumentar o estoque ou contratar mais funcionários), será necessário um maior volume de capital de giro.

Normalmente, capital de giro líquido negativo é um sinal de alerta sobre a saúde financeira da organização. Assim, é indicado calcular o capital de giro com frequência, uma vez que ele sofre alterações regularmente, de acordo com o volume de vendas, condições de pagamento oferecidas ao cliente e as necessidades do mercado em geral.

Dicas para controlar o capital de giro de sua empresa

O segredo de uma boa gestão financeira não está apenas em calcular o capital de giro do negócio, mas também em gerenciá-lo continuamente. A seguir, confira dicas de como realizar um controle efetivo.

1. Opte pela antecipação de recebíveis

Nas vendas a prazo, há uma lacuna entre a realização da venda e o recebimento do pagamento. Portanto, uma boa alternativa para gerenciar bem o capital de giro é oferecer vantagens (como descontos) para quem paga à vista ou antecipadamente. De modo geral, essa é uma condição atrativa para os clientes e positiva para a empresa.

A WEEL é uma fintech que utiliza inteligência artificial para financiar pequenas e médias empresas por meio da antecipação de recebíveis. Saiba mais sobre a experiência WEEL.

2. Mantenha um detalhado controle de fluxo de caixa

A relação entre fluxo de caixa e capital de giro é muito próxima, visto que o último é calculado a partir das receitas e despesas. Logo, para fazer um controle efetivo, é essencial registrar pontualmente todas as entradas e saídas. Vale lembrar que valores projetados e notas fiscais ainda não emitidas não entram nessa conta.

3. Atualize a documentação de processos financeiros

Ter relatórios contábeis periódicos auxilia no acompanhamento do capital de giro, o que possibilita a tomada de ações corretivas mais eficientes. Também é importante controlar os clientes inadimplentes, e assim disponibilizar crédito com base no perfil de cada um.

4. Em caso de empréstimo, faça diversas simulações

Mas se mesmo com todo esses cuidados surgir algum imprevisto e faltar verba, não se preocupe! Opte por uma instituição financeira de confiança, negocie e faça simulações de empréstimo para conseguir a melhor alternativa.

A partir daí, busque quitar as prestações o mais rápido possível sem prejudicar o saldo do fluxo de caixa. O capital de giro é fundamental para a manutenção e desenvolvimento de empreendimentos de todos os portes.

Fazer o cálculo correto permite tomadas de decisão responsáveis e seguras, além ajudar a entender em quais pontos a gestão financeira pode ser aperfeiçoada. Desse modo, o empreendedor terá os recursos necessários para investir cada vez mais no sucesso de seu negócio.

Você ainda tem alguma dúvida sobre como calcular capital de giro da empresa? Pretende começar a utilizar esse recurso em sua gestão financeira? Fale com nossos especialistas financeiros pelo chat do nosso site, enviando um e-mail para suporte@weel.com, ligando para +55 11 3198-5196 . Estamos à sua disposição!