Brasileiro prefere a
antecipação ao crédito

Extra, extra: há uma mudança de cultura em curso no
Brasil. Segundo o diretor de Política Econômica do Banco Central, Carlos Viana,
o financiamento a empresas tem ocorrido mais via instrumentos de mercado de
capitais do que por meio de empréstimos tradicionais. “Vemos
o mercado de crédito bastante saudável, com expansão de modalidades com boas
garantias atreladas, como consignado (com desconto em folha), veículos e
antecipação de recebíveis”, ele destacou durante um evento do Banco Itaú realizado
em abril, em São Paulo.

Segundo o economista, além de terem boa
qualidade, essas modalidades contam com a segurança e a solidez da garantia.
Essa preferência reflete o cenário atual, no qual vigoram o elevado “custo Brasil”
e a importância da qualidade da garantia na solicitação de recursos empresariais.

O que esses dados têm a nos dizer? Não é de hoje que os recebíveis (duplicatas, cheques e de cartões) tornaram-se fundamentais para o financiamento do capital de giro dos negócios, sendo fundamentais e, praticamente, a única opção disponível para a maioria das pequenas e médias empresas, já que com a queda da Selic (taxa básica de juros) as alternativas de investimentos foram reduzidas e limitadas.

Em outras palavras, caro gestor, seus recebíveis estão se tornando cada
dia ainda mais preciosos. E eles não apenas garantem entradas futuras: com a
antecipação, eles são sua fonte mais segura e barata de capital já!

Para saber mais sobre a antecipação de recebíveis realizada pela WEEL, clique aqui.