Antecipação de recebíveis e empréstimo bancário: qual a diferença?

Quem é dono de empresa sabe que às vezes é preciso contar com recursos extras para atingir alguns objetivos, sejam eles relacionados à produção, à ampliação do negócio ou até mesmo para emergências. A boa notícia é que existem opções no mercado financeiro que podem atender a esta demanda — é o caso do empréstimo bancário e da antecipação de recebíveis.

Quer saber mais sobre essas opções, suas vantagens, desvantagens e qual a mais apropriada para sua empresa? Então, não deixe de ler este post!

Entenda o que é antecipação de recebíveis

A antecipação de recebíveis ocorre quando uma empresa negocia títulos e valores a receber. Esses títulos são repassados para financeiras especializadas que, em troca deles, antecipa os valores referentes. Resumidamente, trata-se de um adiantamento das quantias a serem recebidas. Geralmente se referem às duplicatas e cheques, sendo bastante utilizadas pelas empresas para obter capital de giro.

No entanto, é importante destacar que a empresa não recebe o valor total dos recebíveis, já que sobre a operação incidem taxas como o IOF (o imposto sobre operações financeiras) e a taxa administrativa, que está relacionada aos gastos com controle de crédito e outras despesas bancárias. Algumas factorings, porém, realizam promoções em que deixam de cobrá-la.

Esse procedimento é bastante semelhante ao adiantamento do Imposto de Renda e do 13° salário, solicitadas por pessoas físicas aos bancos. Contudo, no caso da antecipação de recebíveis, a operação envolve apenas pessoas jurídicas.

A seguir, veja quais as vantagens e desvantagens dessa opção de crédito e qual o momento ideal para utilizá-la.

Vantagens

Quando se trata de antecipação de recebíveis, a empresa não obtém recursos de terceiros, mas sim utiliza um pagamento já previsto para a empresa. Isso é uma grande vantagem se comparada a outras linhas de crédito. Podemos citar os seguintes benefícios dessa operação:

  • rapidez na liberação dos recursos;
  • taxas de juros mais atraentes;
  • maior garantia no pagamento de valores;
  • menor burocracia;
  • factorings digitais podem ser acessadas de qualquer lugar;
  • não gera endividamento do negócio.

Desvantagens

Apesar de suas vantagens, a antecipação de recebíveis pode se tornar arriscada ou comprometer o lucro da empresa. Um dos cuidados que devem ser tomados é analisar a necessidade de antecipar os recursos.

Mesmo tendo taxas mais atrativas que outras modalidades de crédito, não deixa de ser uma despesa que pode ser evitada por meio de corte de gastos dentro da empresa, por exemplo. Por isso, é preciso ficar atento para que a operação não se transforme em um hábito do empreendedor.

Isso significa que é preciso ter um equilíbrio saudável para que a antecipação de recebíveis seja uma boa alternativa para a empresa. Outras desvantagens que podemos citar são:

  • altos juros no caso de inadimplência do cliente, já que no caso de não pagamento do título a empresa deverá arcar com multas, taxas e juros de mora;
  • resolve um problema no presente, mas gera outro no futuro caso a fatura não seja honrada pelo cliente;
  • dependendo da financeira, pode apresentar taxas pouco vantajosas — por isso, é fundamental pesquisar as melhores ofertas.

Melhor momento para usar

Após conhecer as vantagens e desvantagens da antecipação de recebíveis, é comum que muitos empresários fiquem em dúvida sobre o melhor momento de utilizar essa modalidade de crédito. Antes de tudo, porém, é preciso analisar se antecipar os recursos é viável e qual o objetivo que se deseja alcançar com a operação.

Um dos motivos mais comuns, segundo empresários, é a obtenção de capital de giro. Antes, é importante avaliar se a empresa de fato precisará desse montante imediatamente, pois a empresa estará abrindo mão de parte de seu lucro ao recorrer à antecipação. Outro caso em que a antecipação de recebíveis pode ser interessante é quando os pagamentos dos clientes à ermpesa são feitos em muitas parcelas.

Entenda o que é empréstimo bancário

Empréstimo bancário é um contrato firmado entre o usuário — que pode ser pessoa física ou jurídica — e uma instituição financeira, na qual o cliente toma emprestado uma quantia que será devolvida posteriormente com juros e outros tributos.

A operação pode ser de curto, médio e longo prazos, ou seja, o cliente escolhe em quantas parcelas fará a devolução do montante. No caso de empréstimo para pessoa jurídica (empresarial), o mais comum é o financiamento de capital de giro. No entanto, existem outras modalidades, que são: empréstimo para investimento fixo e empréstimo para investimento misto.

Vantagens

Os empréstimos bancários podem ser uma ótima maneira de expandir os negócios, já que viabilizam a obtenção de recursos que não pertencem à empresa para serem usados como capital de giro. Essa com certeza é uma das maiores vantagens desse tipo de linha de crédito. Outros benefícios são:

  • as despesas com juros são dedutíveis do Imposto de Renda;
  • o prazo pode ser negociado de acordo com a necessidade da empresa;
  • é uma opção interessante quando a empresa tem um bom relacionamento com seu banco.

Vale destacar também que, no caso do empréstimo com taxa de juros fixa, é pago apenas o valor contratado acrescido dos juros. Quando a empresa está indo bem nos negócios, essa pode ser uma ótima opção de crédito.

Desvantagens

O empréstimo bancário também tem suas desvantagens e uma delas é o risco de não conseguir quitar a dívida — isso sem contar que as taxas de juros tendem a ser mais caras do que em outras opções financeiras, como a antecipação de recebíveis.

Para não correr maiores riscos e garantir que o empréstimo ajude a alavancar a empresa, é sempre importante pesquisar diferentes opções. Consulte as melhores taxas e prazos até encontrar a opção mais adequada para seu negócio.

Melhor momento para usar

Devido ao alto risco e às taxas de juros elevadas, a contratação de um empréstimo bancário deve ser feita apenas quando a empresa realmente precisar incrementar seu capital de giro. Se você necessita de recursos imediatos, essa pode ser uma opção válida. Outros casos em que a contratação de empréstimo pode ser uma boa alternativa são:

  • quitação de passivos, ou seja, de contas a pagar;
  • aquisição de bens;
  • investimentos;
  • pagamento de dividendos.

Conheça as diferenças entre os dois

Após conhecer cada modalidade apresentada, pode-se perceber que uma das principais diferenças entre elas é a taxa de juros, que geralmente é maior quando a opção é o empréstimo bancário. Outra diferença marcante é o risco. Na antecipação de recebíveis há garantia dos títulos a receber, já que a entrada desses recursos já está previstá pela empresa.

Como você pôde notar, ambas são opções que podem ser utilizadas para ajudar na alocação de recursos. Basta analisar quais os benefícios e riscos de cada uma e qual a melhor alternativa, segundo os objetivos da empresa.